terça-feira, 12 de julho de 2011

Fere-as

Volta e meia eu tenho vontade de fumar, também, de deixar pra lá meus pulmões, minha asma, e também não é que eu tenha alguma curiosidade em particular quanto ao cigarro em si, ou quanto aos efeitos dele (relaxamento? queda de apetite?), mas às vezes eu tenho muita, muita, muita vontade de falar pra alguém Com licença, vou lá fora acender um cigarro, e aí sair e tomar um ar, sabe?, claro que sabe, esquece, porque você não pode simplesmente falar Vou lá tomar uma cerveja no meio do expediente, pode?, não pode e nem teria o mesmo estilo, eu acho, de eu colocar pra tocar Rock’n’Roll Suicide, que tem tudo a ver, também, né?, e aí iria fazendo conforme a música, You pull on a finger, then another finger, then your cigarette, wowowow, e ficaria ao vento, eu e o cigarro, por um, dois minutos, é estranho eu querer isso? Seria melhor, até, se eu não precisasse do cigarro.

2 comentários:

Igor disse...

Pois é, eu mesmo vivia contando por aí uma teoria que tinha feito: que as pessoas fumavam só para "estar fazendo algo". Se você vê um cara, sozinho, numa praça, acha estranho - se você for o cara, se acha estranho -; agora, se ele está fumando, não tem nada mais normal.

Eu mesmo vivo com essa vontade de fumar que não tem nada a ver com o cigarro. Para "pensar", sei lá. :P

D.Ximenes disse...

Vez por outra me pegava – pego - invejando o meu colega de trabalho que sempre desce pra fumar. Acho que é uma forma ótima de pedir licença sem levantar suspeitas. Sem ter alguém perguntando se está tudo bem na saída e sem aqueles olhares opressivamente preocupados.

Engraçado como o mundo é mal acostumado.

Ótima percepção. Preciso arrumar um vício que exija o ar livre.