quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

O carvalho e o seixo

Rodrigo é o homem que enfrenta, mas teme. Não fosse o dicionário, diria: arrefecera. Aliás, com dicionário mesmo, digo, pronto, arrefecera e se prostrava ali em frente à cena toda. Porque forte, fraquejava. Mas Fernanda, Fernanda dança à música, a música; Fernanda é flor jasmim. Chama: Rodrigo. Recusou. Chama, recusou, clama, recuou, cama, refugou, chama (agora é a outra, substantiva), relutou. O homem forte, Rodrigo não cede. Tarda. Tardam: as horas, o relógio olhado, o corpo erguido e vai. Quando sai, Rodrigo é pedra? Mas rola, demora-se ouvindo a música que passa pela porta. À vitrola, a flor é ainda flor.

2 comentários:

C. Kupo disse...

Se tirar o "v" e o "i" do título, fica mais legal.
Ha ha ha!

Gabriel Mourão Soares disse...

Brilhante