segunda-feira, 8 de junho de 2009

Ele sabia que tinha tudo o que queria,

que era nada. Era let it be bem alto, a noite toda e dormindo tranquilo, era ficar deitado vendo o ventilador girar, girar, girar. Só que ele tinha que sair, então ia, ao cinema, ao teatro. Não tinha como não conhecer Bia. Ele ainda era let it be, ainda era o olhar no ventilador. Ele sabia que podia ser isso pra sempre e era só deixar as coisas como estavam. Mas aí, com o telefone já na mão, o número já discado, a coragem já tomada, era tarde demais.

2 comentários:

bruno disse...

hahaha, nada como os bons erros!

dropeverything disse...

Let it be, Let it be