terça-feira, 8 de julho de 2008

Q, w, e, r, t...

As letras tremiam. Q, w, e, r, t. A, s, d, f, g. Mas tremendo e tremendo, porque ele olhava para o teclado e os olhos tremiam porque ele tremia. Era a perna que tremia e levava o corpo todo junto e as letras acabavam tremendo na medida em que elas eram o que ele via. Eram um problema, e ele tinha que escrever, mas não sabia como começar e por isso tremia, e por tremer não escrevia. Prazos, esses é que eram o problema.

Prazos e mais prazos e contas e trabalhos e encontros e datas e agora aqueles formulários cheios de números que pareciam não ter fim nem meio, mas tinham prazo e era curto.

Só conseguia olhar para o teclado e balançar balançar balançar as pernas, balançar balançar e o prazo cada vez mais curto e as pernas cada vez mais rápidas e as letras que tremiam e dançavam e então ele parou.

Levantou, disse que ia tomar um café e nunca mais voltou.

Um comentário:

C. Kupo disse...

Ia ficar mais legal se você citasse o ípsilon também, assim: q, w, e, r, t, y... Já que "Qwerty" é como chamam o teclado tradicional.